O AIKIDO COMO ATIVIDADE PARA CRIANÇAS


Qual a melhor idade para a criança iniciar o treinamento de Aikido? Essa é uma pergunta que constantemente ouvimos. Dentro de um Dojo de Aikido, muitas vezes essa pergunta é feita por pais que praticam a arte e, por conhecerem a filosofia e a proposta do Aikido, desejam que seus filhos também o pratiquem. Segundo os professores de Educação Física, atividades esportivas devem ser praticadas desde cedo. O contato com outras crianças, de faixas etárias equivalentes e a presença de regras, faz com que se forme um adulto independente, seguro e bem adaptado à sociedade. Outro fator é o enorme ganho na capacidade cardiorespiratória e o desenvolvimento do tônus muscular. Coordenação motora, equilíbrio, força, agilidade e velocidade compõem o conjunto de benefícios advindos da prática de atividade física pelas crianças.


Dos 3 aos 6 anos, recomenda-se qualquer atividade que contenha movimentos rudimentares e básicos, como correr, saltar, girar, arremessar e outros. É necessário que a atividade permita uma livre expressão e um grande número de repetições. A partir daí, surge a opção do Aikido como atividade física para crianças.


Criado e desenvolvido no Japão pelo Mestre Morihei Ueshiba, foi na segunda metade do século passado que o mundo passou a ter contato com essa arte marcial tradicional. Caracterizada por possuir movimentos circulares e por não se utilizar da força física, o Aikido pode ser praticado por qualquer pessoa, sendo uma excelente alternativa de atividade para crianças. Em um Dojo de Aikido, as crianças são apresentadas a um universo estimulante: são trabalhados, no treinamento das técnicas, diversos exercícios que ajudam a desenvolver habilidades psicomotoras, tais como lateralidade, noções de espaço, tempo e ritmo, de cima e baixo, perto e longe, rápido e devagar.


Um treino de Aikido começa (e termina) sempre com uma reverência ao Kamizá – foto do Fundador da arte, que fica posicionada no centro do Dojo; ao iniciar o treinamento com um parceiro (uke), deve-se cumprimentá-lo respeitosamente, atitude que se repete ao encerrar o treinamento daquela técnica. Com essa atitude, passa-se a incutir na criança o respeito pelas pessoas e por aqueles que nos ajudam a treinar. Por esse motivo, o Aikido é reconhecido como uma das poucas artes marciais a assumir responsabilidade pela segurança e bem estar do atacante.


Outro ponto fundamental durante a prática, é que defensor (nague) e atacante (uke) se alternam diversas vezes no decorrer de um treinamento. Ao assumir a posição de nague, o praticante é atacado e finaliza sua técnica com uma projeção ou uma imobilização e posteriormente passa a atacante, sendo igualmente imobilizado ou arremessado. Com essa alternância, o indivíduo passa a aceitar as diversas situações do dia a dia, sem carregar o peso da derrota, fortalecendo dessa forma seu caráter e sua personalidade.


Do ponto de vista da dinâmica, o Aikido revela movimentos circulares e naturais; suas técnicas visam pontos de desequilíbrio, que permitem sua execução mesmo entre indivíduos fisicamente desproporcionais. É por esse motivo que as crianças apresentam geralmente muita facilidade em assimilar as técnicas de Aikido. Seus movimentos são desprovidos de força e ainda não há padrões pré-concebidos.


Como parte importante do treinamento com crianças, os rolamentos merecem atenção especial e cuidado redobrado ao ser ensinado pelo professor. Eles são uma importante ferramenta a ser utilizada pelo praticante ao longo de toda a sua vida dentro do Aikido. Costumam ser ensinados exaustivamente, para que se atinja um nível que permita ao uke ser arremessado com segurança em qualquer técnica. Crianças, via de regra, são muito flexíveis e aprendem os rolamentos com certa facilidade; é preciso passar confiança a elas, para superar o medo inicial de cair.


Em todas as faixas etárias, quando tratamos de crianças, o importante é haver motivação durante a atividade. Um treino de Aikido para menores de 15 anos deve ser revestido de uma atmosfera lúdica; são permitidos jogos e brincadeiras no decorrer da aula. Esse artifício vai muito além de uma simples brincadeira. A criança passa a se deslocar com mais desenvoltura no tatami, a interagir com seus colegas de treino e aprende a dividir espaços – treina-se com isso a postura (kamae), o movimento de corpo (taisabaki) e o permanente estado de alerta (zanshin).


Seguramente, todos os elementos que envolvem o treinamento regular do Aikido são comprovadamente benéficos à formação da criança, mas um, entre eles, se destaca por ser o elo que une todos esses fatores – a disciplina. Desde o primeiro momento em que uma criança é apresentada à arte, ela passa a respeitar e a seguir regras – regras estas que serão fundamentais na formação do caráter e no respeito às outras pessoas. Porém, a disciplina que é inserida gradativamente no aprendizado da arte não deve ser confundida com autoritarismo. Por ser uma arte marcial desenvolvida por japoneses, ela está impregnada pelo “espírito japonês”, uma maneira muito especial de se comportar e de se conduzir no dia a dia. Ética, respeito e gratidão são os alicerces dessa cultura milenar.

Sendo certo que no início o mais importante é a formação de um hábito de vida saudável, que renderá bons frutos no futuro, a criança que é apresentada ao Aikido aprende muito cedo a ter autocontrole e tranqüilidade perante as dificuldades do mundo moderno, tornando-se um adulto seguro e emocionalmente sadio.